Pages

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Boa-noite - Catharanthus roseus.

Hoje, a pedidos do meu amigo Silvio César, vamos postar sobre a rústica beleza da Boa-noite.

Nome Científico: Catharanthus roseus
Sinonímia: Vinca rosea, Ammocallis rosea
Nome Popular: Vinca, vinca-de-gato, vinca-de-madagascar, boa-noite, maria-sem-vergonha, bom-dia
Família: Apocynaceae
Divisão: Angiospermae
Origem: Cosmopolita Tropical
Ciclo de Vida: Perene

A Catharanthus roseus é uma planta rústica e pouco exigente nativa e endêmica de Madagáscar. Na natureza selvagem esta espécie se encontra em processo de extinção, isso por causa da destruição do habitat pela queima e a agricultura. Mesmo assim, a Boa-noite está sendo cultivada em todos os lugares que apresentam um clima tropical e subtropical e está ocorrendo um processo de naturalização nesses novos lugares.

A Boa-noite é uma das plantas medicinais mais extensivamente estudadas. Além de planta ornamental, sua importância se deve à produção e acúmulo de alcalóides bisindólicos nas folhas (vimblastina e vincristina), utilizados no tratamento de diversas formas de câncer. No entanto, há poucos relatos na literatura sobre o desenvolvimento dessa espécie em relação às variações de fatores do ambiente.
Quando foi descoberta, pelos europeus, foi denominada erradamente de vinca ou mirta. Esse erro foi corrigido e a vinca-de-madagáscar foi reclassificou no gênero Catharanthus e lhe foi atribuída o nome de Catharanthus roseus. O direito binomial da vinca-de-madagáscar é prezado para G. Don, o pesquisador que a coletou, a estudou e tirou as conclusões que se tratava de uma espécie do gênero Catharanthus. A vinca-de-madagáscar possui vários sinôminos entre eles Vinca roseua (Basinômino), Lochnera rosea e Ammocallis rosea. Por causa de suas características é classificada na divisão das Angiospermas porque esta planta produz flores e frutos.

Descrição

A vinca-de-Madagáscar é uma planta perene, que geralmente são cultivadas em canteiros ou jardins de flores. Em um clima frio a vinca-de-Madagáscar desenvolve um caule lenhoso, pode crescer até um metro de altura, as folhas são brilhantes e medem de 5 a 7 centímetros (cm) de comprimento. As cinco pétalas de flores são tipicamente rosa, mas podem ser cultivadas em cores vermelho, roxo e branco. As flores florescem melhor no verão e como a maioria dos membros da família das Apocynaceae esta planta pode expelir um tipo de látex leitoso. Existem várias subclassificações usadas para dividirem a Catharanthus roseus, são elas:
  • Cooler - Ou resfriada crescem compactadas de formato arredondado, as pétalas são sobrepostas, ou seja, uma sobre a outra formando uma especié de pastel;


  • Carpetes - Inclui Catharanthus roseus que medem de 7 a 10 cm de altura e espalha-se a 60 cm pelo chão. São ótimas plantas para decorações;


  • Pretty - Ou coisa bonita, assim como as de Cooler, as Pretty são compactas e possuem muitas flores numa só planta, medem cerca de 30,5 cm de altura;


  • Névoa da manhã - Possui grandes flores brancas com o centro rosa;


  • Guarda-sol - Tem grandes flores que medem 5 cm de largura, são brancas com centro rosa. A planta mede cerca de 60 cm de altura.

Descoberta da Vimblastina

O descobridor da substancia vimblastina foi o Dr. Robert Laing Noble da Universidade de Toronto em 1934. A descoberta da vimblastina esteve comumente ligada a diabete. No ano de 1952. o Dr. Noble recebeu de seu irmão Dr. Clark Noble um envelope que continha 25 folhas da vinca-de-Madagáscar. Esse envelope veio da Jamaica, mandado por um paciente Dr. Clark, ele dizia que na falta da insula para diabéticos eles usavam o chá da vinca-de-Madagáscar. Percebeu-se que as folhas tinham poucos efeitos na diminuição da glicose no sangue, mas a diminuição dos glóbulos brancos no sangue foi o que chamou a atenção do Dr. Noble, o que sugeriu na possível cura da leucemia.

No ano de 1954 o Dr. Beer e a equipe do Dr. Noble conseguiram identificar, separar e purificar um alcaloide que veio a ser chamado de vimblastina que impediu a multiplicação dos glóbulos brancos no corpo o que veio a combater a leucemia. Até hoje a vimblastina é usada para o combate da leucemia, e também se misturada com outras substância anticancerígena pode vir a combater outros tipos de cânceres.


Utilidades

Uso para a farmacologia
Já foram encontrados mais de setenta tipos diferentes de alcaloides na vinca-de-Madagáscar. Outro alcaloide além da vimblastina é a vincristina (extraído das flores da planta) que também é usado na cura do câncer como linfomas, Doença de Hodgkin, câncer de mama, leucemia linfocítica aguda, sarcomas de tecidos moles, Mieloma múltiplo, Neuroblastoma. A extração e fabricação da vimblastina e da vincristina são controladas por causa de sua toxidade, entre eles a neuro-estar. Embora a vimblastina e a vincristina forem semelhantes em estrutura e a mesma ação as duas substância produzem efeitos diferentes sobre o corpo. A vincristina é considerada um pouco superior a vimblastina na cura da linfossarcoam. A raíz da vinca-de-madagáscar contém outro alcaloide chamado de alstonina que tem um efeito calmante e que é capaz de reduzir a pressão arterial.

Uso para a medicina alternativa
A vinca-de-madagáscar foi muito usada na medicina alternativa de vários países do mundo. Na medicina tradicional chinesa, a vinca-de-madagáscar tem sido usada para o tratamento de diversas doenças E como planta ornamental. Na medicina tradicional chinesa, extratos da vinca-de-madagascar têm sido usados para combater diversos tipos de doenças incluindo diabetes, malária e a doença de Hodgkin. Na Índia suas folhas eram utilizadas para tratamento de picadas de vespa. No Havaí, esta planta era fervida em água, dando origem a um cataplasma que era utilizada na paralisação de hemorragias.

Proibições de uso
Os conflitos históricos de indígenas, o uso como alucinógeno, uso recente da vinca-de-madagáscar como patente sobre medicamentos derivados por empresas de fabricação de medicamentos levou a acusações de biopirataria. Como a vinca-de-madagáscar pode ser perigosa se consumida por via oral e também ter um grande poder alucinógeno foi-se proibida o cultivo, a posse e a venda no estado americano da Luisiana segundo a lei estadual de nº159.


Cultivos

A espécie é muito cultivada pela medicina alternativa e também com planta alternativa. A Boa-noite é uma planta muito rústica e pouco exigente, por esses motivos pode ser cultivada em quase todo o mundo onde se apresenta um clima tropical e subtropical. O cultivo deve ser feito em um solo fértil e deve ser regado constatemente. Embora a vinca-de-madagáscar seja bem resistente a seca e aguentar até um ano com pouca água. É geralmente usada nas decoraçãos de jardins, em maciços, em vasos, em bordaduras, em jardineiros e vasos. O período de aparecimento das flores estende-se por todo o ano. Apesar de ser um bela planta, a vinca-de-madagáscar é geralmente trocada por perídos de dois anos, isso é feito porque ela perde sua beleza com o passar dos anos.







13 comentários:

  1. Onde eu consigo encontra todas as espécies?
    Nossa são perfeitas. Vc precisam ver o tanto de borboletas elas atraem!

    ResponderExcluir
  2. puxa estou surpresa, no meu quintal essas flores sempre aparecem, sempre achei lindas agora depois dessas descobertas que são medicinais as acho mai que maravilhosas!

    ResponderExcluir
  3. Adoro o visual que essas flores apresentam, são muito lindas.

    ResponderExcluir
  4. Tem alguém aí que possa me explicar porque as minhas vincas compradas em casas do ramo morrem? Refiro-me as de cores não tradicionais. Tenho outras, roxas e brancas e essas não enfrentam nenhum problema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As Vincas são tidas como plantas pouco exigentes, mas é necessário ter alguns cuidados. Sob Sol pleno elas amarelam e apresentam redução na floração e crescimento. Na sombra a folhagem se torna rarefeita e as flores menores.
      O ideal é plantá-la a meia sombra, com rega constante e ao abrigo do calor intenso.
      Seguindo essas regrinhas não ha motivos para sua vinca morrer., a menos que contraia alguma praga.

      Excluir
  5. Alguém me coloca em grupo de plantas pfvr se alguém tiver

    ResponderExcluir
  6. A minha apareceu no vaso que tem um alecrim, está enorme com folhas grandes e flores .

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!

 

Blogger news

Nº de Visualizações

About