Pages

segunda-feira, 31 de março de 2014

Pitaya - Hylocereus undatus



CLASSIFICAÇÃO:

  • Nome comum:Pitaya
  • Família:Cactaceae
  • Gênero:Hylocereus
  • Espécie:Hylocereus undatus Haw
  • Classe:Magnoliopsida
  • Ordem:Caryophyllales


A Hylocereus undatus é uma espécie de pitaia pertencente ao gênero Hylocereus e a família Cactaceae, é disseminada na América Latina e cultivada nos quatro continentes, e pode ser encontrada desde Israel até a China. Nativa de florestas úmidas mantem hábito escandente ou trepador, pode ser encontrada subindo em árvores ou rochas, no seu habitat natural, utilizando raízes aéreas para se fixar.

As pitayas são conhecidas na cultura Asteca a um longo tempo, este nome significa fruto de escamas, é utilizado tanto para a planta como para o fruto de Hylocereus undatus (Haw.) Britton & Rose. É conhecida pelo mundo afora por diversos nomes, como dragon fruit, pitahaya, no Brasil o nome vulgar da cultura sofreu modificações, com escrita diferente, Pitaia, mas mantendo a sonoridade. Noutros locais sua flor é conhecida como rainha-da-noite.

características:

Da familia botânica Cactaceae, a Pitaya pertence ao gênero Hylocereus. É planta perene, crescendo comumente sobre árvores ou pedras. Tem raízes fibrosas, abundantes e desenvolve também numerosas raízes adventícias, que ajudam na sua fixação e na obtenção de nutrientes. Uma das formas de propagação da planta é por estaquia.
No vale de Tehuacán no México , ela é chamada de Pitahaya. Essa cactácea nativa dos Andes, foi levada pelos holandeses e franceses para a Ásia, onde são hoje largamente cultivadas em Taiwan, Vietnam, Tailândia, Filipinas, Sri Lanka, e Malasia. São também encontradas em Okinawa, Hawai, Israel , Norte da Austrália e Sul da China.
A pitaya vermelha é uma cactácea cujos frutos são de interesse comercial crescente por produtores e consumidores. Existem pequenas áreas de produção comercial de Pitaya aqui no Brasil em S.P, na região de Catanduvas.
Os frutos da Pitaya são ricos em vitaminas, fósforo, que auxilia o processo digestivo e previne o câncer de cólon e a diabetes. Ajuda, também, a neutralizar substancias tóxicas (metais pesados), reduz os níveis de colesterol e a hipertensão. As sementes têm efeito laxante. Pode-se consumir a polpa do fruto ao natural ou processado como refresco, geléias ou doces. Seu gosto lembra um pouco o do melão e apesar de sua aparencia chamativa, o paladar é suave. Além do fruto, que tem efeito em gastrites, o talo e as flores são usados para problemas renais.

















Fonte: http://as19frutas.wordpress.com/











quarta-feira, 12 de março de 2014

Açafrão do Prado - Colchicum autumnale

CLASSIFICAÇÃO:

  • Nome comum:Açafrão do Prado
  • Família:Colchicaceae
  • Gênero:Colchicum
  • Espécie:Colchicum autumnale
  • Classe:Liliopsida
  • Ordem:Liliales
  • Sinonímia: Synsiphon Regel, Merendera Ramond, Bulbocodium L.

O Açafrão do Prado é considerado um veneno mortal, devido a presença de colchicina, seu uso terapêutico é muito restrito, no tratamento do ácido úrico.

Descrição : Planta da família das Liliaceae, tambêm conhecido como açafrão de outono, açafrão do prado ou mulher nua.
É uma planta ornamental que produz uma flor que se assemelha ao verdadeiro açafrão, mas a floração ocorre no outono.
O nome de mulher nua vem do fato de que as flores emergem do solo muito tempo depois que as folhas já morreram.
A planta tem sido confundida com forrageiras para gado, que lembra vagamente, mas é um veneno mortal, devido à presença de colchicina, uma droga útil com um restrito uso terapêutico .
Os sintomas de envenenamento por colchicina se assemelham aos de arsénio e não há antídoto. Apesar de sua toxicidade, a colchicina é aprovado pelo F.D.A. - E.U. A para o tratamento de gota e Febre Familiar do Mediterrâneo e também é usado no melhoramento de plantas para a produção de poliplóides cepas.

Parte utilizada:

Flores, bulbo, sementes.

Usos Medicinais:

Indicações:

Gota (reduzir as febres, dores e o inchaço, eliminar o ácido úrico), câncer (leucemia, porque inibe a divisão celular), homeopatia (dores em geral, reumatismo, desordens gastrintestinais, diarréia e náusea), erupções da pele (uso externo).

Princípios Ativos: Colquicina, lipídios, taninos, açúcar.
Propriedades medicinais: Analgésica, anti-cancerígena, antiinflamatória, depurativa.
Contra-indicações/cuidados: veneno mitótico, bloqueia a divisão celular. O envenenamento por sementes ou flores é mortal. Só usado na homeopatia (dor em geral, diarréia, náusea, gota).

O excesso causa dores gástricas, diarréia e danos renais. Pode causar anormalidades fetais; não deve ser dado às mulheres grávidas ou pacientes com doença renais. O uso prolongado pode causar perda de cabelo, desordens do sangue, dores musculares, fraqueza e formigamento nas mãos e pés. O envenenamento por consumo das sementes ou das flores é freqüentemente mortal.

O envenenamento manifesta-se por: salivação, vômitos, diarréia sangrenta, cãibras, paralisia geral, dor gástricas, danos renais, anormalidades fetais, perda de cabelo, desordens do sangue, dor muscular, fraqueza, formigando nas mãos e pés.

combate ao câncer:

Existem estudos no univerdade de Bradford, conduzidos pelo doutor Laurence Patterson, de um remédio a base de colquicina no combate ao câncer.

O remédio foi testado com em camundongos contra câncer de mama, intestino, pulmão e próstata, porêm acredita-se ser eficiente contra qualquer tipo de tumor sólido.
Nos testes de laboratório, metade dos camundongos ficou completamente curada após uma única injeção da droga e houve redução no ritmo de crescimento dos tumores em todos os animais testados.

A nova droga produzida a partir do açafrão-do-prado circula na corrente sanguínea, e é ativada por uma substância química emitida por tumores malignos.

Ela ataca as células cancerosas que se espalharam, mas deixaria intactos os tecidos saudáveis.É o que diz o estudo.

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br/










 

Blogger news

Nº de Visualizações

About