Pages

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Natureza transparente!

Com formas variadas, esses animais provam que a diversidade da natureza vai muito além das cores.

Surpreenda-se com a beleza exótica de 14 animais transparentes

á reunimos aqui no Mega Curioso algumas das espécies mais coloridas da natureza. Agora chegou a hora de ver uma seleção de animais transparentes. Mas não se deixe enganar! Não é só porque algumas espécies exóticas são desprovidas de cores que elas deixam de ser interessantes.
Quando as cores saem de cena, podemos apreciar esses animais sob um novo aspecto e suas formas inusitadas ganham ainda mais destaque. Você vai perceber que a transparência também varia de acordo com a espécie – alguns animais parecem feitos de vidro, enquanto outros ainda têm parte do corpo colorido ou apresentam essa curiosa característica apenas durante uma fase da vida.
Então conheça mais sobre essas criaturas fascinantes e quase que invisíveis que habitam diferentes partes do planeta.

1) Camarão-fantasma (Macrobrachium jelskii)

Mother Nature Network
Esses minúsculos crustáceos apresentam cascas semitranslúcidas que fazem com que eles praticamente desapareçam em aquários, onde costumam ser mantidos. Na natureza, diferentes espécies podem ser encontradas em rios e lagos ao redor do mundo. Sua aparência engana os olhos com tanta facilidade que são maiores as chances de identificá-lo depois que ele se alimenta de algo colorido. Um bom exemplo disso é quando o camarão ingere plantas e passa a apresentar uma coloração esverdeada.

2) Macropinna microstoma



Este peixe é considerado por muitos como uma das criaturas mais esquisitas do fundo do oceano. Provavelmente essa fama vem do seu visual diferente, que inclui uma cabeça transparente e olhos (que são essas estruturas tubulares esverdeadas) que ficam dentro do seu corpo. A explicação é que, caso a cabeça do animal fosse colorida, ele não conseguiria enxergar com a mesma clareza. O animal é capaz de girar seus olhos em diferentes direções para procurar suas presas. Quando estão apontados para cima, como na imagem, é porque o peixe está em busca de alimentos. E não se confunda: aqueles dois orifícios na parte da dianteira do animal funcionam apenas como narinas.

3) Vitreledonella richardi

Este polvo que mais parece ter sido feito de vidro tem um aspecto tão inusitado que ele ganhou uma classificação própria: a família Vitreledonellidae. Pouco se sabe sobre esse animal marinho que já foi encontrado em águas tropicais e subtropicais em diferentes partes do mundo. Graças a sua pele transparente, os pesquisadores sabem que seus olhos possuem raros nervos ópticos alongados, o que indica que esse animal tem uma visão aguçada. Bom seria se nós tivéssemos uma visão tão apurada quanto à deste polvo para poder admirar sua beleza exótica.

4) Sapo-de-vidro (Centrolenidae)

Oddee
Mesmo apresentando alguma coloração, esses anfíbios não poderiam deixar de fazer parte desta lista. Isso porque os sapos da família Centrolenidae possuem o abdômen extremamente transparente. Dessa maneira, alguns órgãos internos – como o coração, o fígado e o sistema digestivo – podem ser vistos com facilidade através da pele translúcida. Esses sapos podem ser encontrados em matas da América Central e do Sul, onde costumam viver no alto das árvores.

5) Borboleta asas-de-vidro (Greta oto)

Como o próprio nome já diz, o grande diferencial dessa espécie de borboletas e ter suas asas transparentes como se fossem feitas de vidro. Afinal, se não fossem pelos contornos tradicionalmente escuros, dificilmente veríamos esse inseto repousar em uma folha ou uma flor. Com uma beleza delicada, essa espécie frequentemente migra por longas distâncias, enquanto os machos se reúnem em grandes grupos que se exibem em busca de acasalamento. Essas borboletas são encontradas na América Central, do México ao Panamá.

6) Peixe-gelo (Channichthyidae)

Curiosamente, o que faz com que esses peixes tenham um aspecto tão exótico é o seu sangue, que é praticamente transparente. Isso se deve ao fato dos peixes-gelo serem os únicos vertebrados conhecidos do mundo a não ter hemoglobina, que é a proteína de cor vermelha que transporta o oxigênio no sangue. Dessa maneira, o metabolismo desses animais conta com o oxigênio que é absorvido diretamente da água, com a vantagem de que o gás se dissolve com mais facilidade em águas frias. Por esse motivo, essa espécie vive ao redor da Antártida e no sul da América do Sul, onde se alimenta de krills, pequenos crustáceos e outros peixes.

7) Besouro-tartaruga (Charidotella)

Mesmo não sendo totalmente transparente, os besouros-tartaruga possuem uma carapaça invisível. Essa espécie de película funciona como uma proteção para enganar possíveis predadores. Esses animais apresentam as mais diversas variedades e, consequentemente, trazem diferentes cores sob a carapaça. Um exemplar de besouro-tartaruga-dourado (Charidotella sexpunctata), por exemplo, mede de 5 a 8 milímetros e apresenta uma coloração dourada que pode lembrar uma joaninha metalizada. Ao longo do ano, sua coloração muda de dourado para um bronze avermelhado.

8) Salpa (Salpidae)

As salpas não devem ser confundidas com as águas-vivas, já que são transparentes e gelatinosas. Um exemplar desses animais foi encontrado recentemente na Nova Zelândia e apareceu aqui no Mega Curioso. Estes tunicados nadam livremente com a ajuda de contrações e bombeamentos de água através de seu sistema alimentar interno, o que significa que as salpas garantem um banquete enquanto flutuam. Podem ser encontradas em diferentes lugares ao redor do mundo, mas são mais comuns no Oceano Antártico, onde chegam a formar aglomerações.

9) Pepino-do-mar-transparente (Enypniastes)

Descoberto recentemente pelo Censo da Vida Marinha, essa espécie de pepino-do-mar é tão transparente que seu sistema digestivo fica totalmente à mostra. O animal foi encontrado a uma profundidade de 2.750 metros e é apenas um dos muitos exemplares inusitados que foram descobertos no censo. Quando foi encontrado, o animal estava usando seus tentáculos para carregar sedimento rico em detritos para dentro de sua boca.

10) Lula-de-vidro (Teuthowenia pellucida)

Como não basta apenas ser transparente, as lulas-de-vidro apresentam uma beleza ainda mais exótica por serem bioluminescentes. Ou seja, esses animais possuem órgãos naturalmente iluminados que brilham e se destacam através de sua pele translúcida. Essa transparência serve para que o animal se esconda de seus predadores, já que ele costuma viver em águas rasas e parcialmente iluminadas. Encontradas nos oceanos do Hemisfério Sul, essas lulas ainda tem a capacidade de enrolar o corpo, como se fossem um tatu-bolinha aquático.

11) Anfípoda (Phronima)

Como um corpo transparente, este estranho animal foi descoberto recentemente em uma expedição aos mares profundos localizados na região montanhosa do Atlântico norte. Como estratégia para sobreviver aos seus possíveis predadores, esse animal revela tudo o que há dentro e fora de seu corpo em uma tentativa de desaparecer no ambiente.

12) Cyanogaster noctivaga

Tudo indica que seu corpo transparente e seus hábitos noturnos impediram que essa curiosa espécie fosse descoberta até agora. E para ninguém dizer que não há um representante brasileiro nessa lista, o pequeno peixe – que mede no máximo 17 milímetros – vive na região do Rio Negro, no Amazonas. A falta de cor em boa parte do corpo e o hábito de sair apenas durante a noite certamente são pontos que contam a favor quando o assunto é camuflagem.

13) Salamandra de Barton Springs (Eurycea sosorum)

National Geographic
Essa inusitada espécie ficou mais conhecida por esse nome por ser encontrada exclusivamente em Barton Springs, que é um conjunto de nascentes naturais localizado no Texas, nos Estados Unidos. De tamanho reduzido e sem pulmão, essas salamandras tem uma pele translúcida de coloração marrom-avermelhada que permite ver até mesmo a última refeição do animal. Como a espécie depende das condições do ambiente para sobreviver – e nunca foi encontrada em outras partes do mundo – ela está na lista dos animais em risco de extinção desde 1997.

14) Borboleta-marinha (Gymnosomata)

As borboletas-marinhas são moluscos nativos do Oceano Ártico. Em grego, o nome científico da espécie significa “corpo nu”, o que explica muito sobre a aparência reveladora e quase invisível do animal. Além disso, vale saber que as borboletas-marinhas são hermafroditas e se alimentam de uma espécie relacionada de molusco (Thecosomata). Como elas flutuam na água com o auxílio de suas pequenas “asas” translúcidas, é fácil entender a origem do seu nome comum.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!

 

Blogger news

Nº de Visualizações

About