Pages

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Jamelão - Syzygium cumini




CLASSIFICAÇÃO:

  • Divisão: Magnoliophyta
  • Classe:Magnoliopsida
  • Ordem:
  • Myrtales
  • Família: Myrtaceae
  • Gênero:                                      Syzygium
  • ESPÉCIE:                                      S. cumini

O jamelão, jambo, jambolão, jamborão, baguaçu, jalão, joão-bolão, topin, manjelão, azeitona-preta, ameixa roxa, baga-de-freira, oliveira, brinco-de-viúva ou guapê (Syzygium cumini, ex-Eugenia jambolana Lam. ou Syzygium jambolanum DC.) é o fruto da planta de mesmo nome da família Myrtaceae. A espécie é nativa das regiões tropicais, especialmente da América tropical e Austrália. Tem um em todo o mundo, embora a sua distribuição seja altamente irregular, tendo maior densidade em regiões tropicais e subtropicais. O gênero compreende cerca de 1 100 espécies.


Plantas desta família Myrtaceae são conhecidos por serem ricas em óleos voláteis que são usados na medicina e muitos frutos desta família têm uma rica história de usos tanto na culinária como na medicina. Algumas das espécies comestíveis de Syzygium são plantadas ao longo dos trópicos em todo o mundo.

Na Região Nordeste do Brasil, é conhecida como "azeitona-preta", oliveira, e jamelão dependendo do estado. Nessa região, a planta adaptou-se tão bem que se tornou espécie subespontânea, sendo chamada de "brinco-de-viúva". Também é comum no litoral paranaense, onde recebe o nome de "guapê".
Apesar de as árvores desta espécie serem abundantemente usadas em arborização urbana, os jamelões são pouco comercializados, em decorrência de sua alta perecibilidade. Os jamelões costumam deixar as calçadas manchadas de roxo devido à queda dos frutos maduros.

CARACTERÍSTICAS:

A árvore pode atingir 10 metros de altura. Sua copa possui folhagem abundante e sempre verde. Seus ramos possuem coloração acinzentada-claro com fissuras escuras e cicatrizes foliares aparentes. A madeira é esbranquiçada, estreita e durável; Oferece corantes marrons e uma espécie de goma, o Kino.
As folhas são coriáceas, oblongo-ovadas a elípticas ou obovadas-elípticas com 6 a 12 centímetros de comprimento (extremamente variável em forma, lisa e brilhando com numerosos nervos unindo-se dentro da margem), a ponta é larga e menos acuminada. As panículas são carregadas principalmente dos ramos abaixo das folhas, muitas vezes sendo axilar ou terminal, e são 4 a 6 centímetros de comprimento.
As flores são perfumadas, branco esverdeado, em grupos de 10 a 40 flores. Possuem forma arredonda ou oblonga. O cálice é em forma de funil, cerca de 4 milímetros de comprimento, e dentado. As pétalas se unem e caem todas juntas como um pequeno disco. Os estames são numerosos e tão longo quanto o cálice. 
A planta produz pequenas ameixas roxas, que têm um sabor muito doce, tornando ligeiramente adstringente sobre as bordas da polpa como o fruto se torna maduro. Os frutos maduros, de cor violeta escura, dão a impressão do fruto da oliveira tanto em peso como em forma e têm um sabor adstringente. A fruta tem uma combinação de sabor doce, suavemente azedo e adstringente e tende a colorir a língua púrpura.
O fruto possui uma semente única e grande, quando comparada com o tamanho do fruto, envolta por uma polpa carnosa. Apesar de sabor um pouco adstringente, é agradável ao paladar. Na Índia, além de ser consumido in natura, é usado na confecção de doces e tortas.

IMPORTÂNCIA religiosA:

Segundo a tradição hindu, o deus Rama alimentou-se somente desta fruta na floresta por 14 anos durante o seu exílio de Ayodhya. Devido a isto, muitos hindus denominam o jamelão como o "fruto dos deuses", especialmente em Gujarat, na Índia, onde é conhecido localmente como jamboon.
Krishna e outros protagonistas da mitologia hindu foram descritos como tendo a pele da cor do jamelão.

SiNONÍMIA:

    Calyptranthes caryophyllifolia (Lam.) Willd.
    Calyptranthes oneillii Lundell
    Eugenia cumini (L.) Druce
    Eugenia caryophyllifolia Lam.
    Eugenia cumini (L.) Druce
    Eugenia jambolana Lam.
    Myrtus cumini L.
    Syzygium jambolana (Lam.) DC.
    Syzygium jambolanum DC.
    Syzygium caryophyllifolium (Lam.) DC.
    Syzygium jambolanum (Lam.) DC.

USO:

A casca do jamelão, na forma de pó de decocção, é, popularmente, usado contra:

    hemorragias
    leucorreia
    disenteria

O pó das sementes é usado no tratamento da diabete. E pode ser usado para combater prisão de ventre.

Fonte:

https://pt.wikipedia.org/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3609276/ 






















0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!

 

Blogger news

Nº de Visualizações

About